Saturrarango kartzelan preso egondako emakumeen izenak sarean jarri dituzte

http://www.argia.eus/blogak/urko-apaolaza/2015/02/12/saturrarango-kartzelan-preso-egondako-emakumeen-izenak-sarean-jarri-dituzte/

saturraran

1938 eta 1945 artean Mutrikuko presondegian giltzapetutako 1.583 emakumeren izenak argitaratu ditu Euskal Memoria fundazioak.

Sarean eskegitako datu baseak bilaketa egiteko aukera ematen du izenaren, jaiotze urtearen eta jaioterriaren arabera, eta izenean klik eginez gero presoak zenbat urteko kartzela zigorra jaso zuen jakin daiteke, baita lanbidea ere, normalean etxekoandrea, neskamea edo maistra.

Saturrarango kartzela inprobisatua urte luzez izan zen Espainiako Estatuan emakume errepublikar eta disidenteak giltzapetzeko gune nagusia. Itsasertzeko hotel zaharrean 1940an 1.500 preso baino gehiago pilatzen ziren, haur eta heldu. Gunea hainbat pabiloitan bananduta zegoen eta presoek debekatuta zuten batetik bestera igarotzea.

(gehiago…)

CODESRIA: Poltsa post-doktoralak

Bolsas pós-doutoramento sessão 2015

 

Data limite: 15 de Março de 2015

 

O CODESRIA é uma organização pan-africana de pesquisa criada em 1973, tendo como objetivos gerais a promoção da pesquisa em ciências sociais em África e na diáspora. Um dos objetivos específicos do CODESRIA consistia em reforçar a contribuição africana para os trabalhos científicos em ciências sociais no continente, numa época em que os pesquisadores baseados fora da África dominavam a produção de conhecimentos sobre a África. O financiamento dos trabalhos de pesquisadores africanos e a publicação dos seus resultados eram elementos chaves nesta luta.

 

Enquanto o objetivo de reforçar a quantidade de trabalhos produzidos pelos pesquisadores africanos em ciências sociais parece ser alcançado em grande parte, o principal desafio permanece hoje o da qualidade. Existe uma divisão mundial do trabalho na produção de conhecimentos segundo a qual os africanos são muitas vezes confinados ao trabalho empírico, ao passo que os trabalhos de ordem superior de construção de teoria e de significado continuam a ser dominados por pesquisadores residindo fora do continente. Muitas vezes, os trabalhos dos pesquisadores africanos limitam-se muito à análise empírica ou disciplinária através dos quadros teóricos emprestados aos pesquisadores vindos de fora com poucos esforços de construção teórica inovadora sobre o trabalho empírico efetuado. Isto significa que a contribuição dos africanos para a compreensão global dos processos e estruturas no continente fica limitada.

 

Esta distância que se verifica em relação à teorização no trabalho dos pesquisadores africanos no domínio das ciências sociais deve ser compreendida como o resultado da conjuntura económica e política do continente e não como prova de uma ausência de capacidades de teorizar. Com efeito, vários pesquisadores do período pós – independência contribuíram de maneira significativa para a compreensão global das estruturas pré- coloniais e coloniais e os seus processos em África, bem como as realidades pós coloniais. Hoje em dia, alguns pesquisadores africanos são figuras marcantes nos debates mundiais sobre a África e o mundo.

 

Infelizmente, uma série de fatores militam contra a infusão da maior parte dos trabalhos empíricos conduzidos pelos pesquisadores africanos em perspectivas teóricas. Sendo uma delas a prática generalizada da consultadoria por pesquisadores africanos, cujas causas e efeitos já foram objeto de vários estudos. A produção frequente de relatórios de consultadoria espalhou um estilo de redação que, muitas vezes, não ultrapassa a análise empírica dos dados, a proposta de recomendações políticas, e a focalização sobre o presente. A «profissionalização» da formação universitária, como disse muito bem Mahmood Mamdani, acentuou o problema, diminuindo a capacidade de reflexão fornecida pela formação universitária aos estudantes. Os fracos recursos aos quais podem aceder vários pesquisadores nas universidades africanas limitam igualmente a sua capacidade a consagrar um tempo significativo e duradouro a projetos de pesquisa.

 

O Programa de bolsas pós doutoramento do CODESRIA é destinado a fornecer aos pesquisadores, a diferentes níveis da sua carreira, os recursos capazes de sustentar um projeto da sua escolha durante vários anos. O resultado deve ter uma base  empírica  e ser teoricamente inovador e contribuir de maneira original para a sua área de trabalho e à compreensão da África no mundo. Para além de um subsídio  de USD 15 000 para um período de 15 meses, os pesquisadores selecionados terão acesso à biblioteca do CODESRIA. Devido aos prazos estritos, o programa vai privilegiar o apoio aos pesquisadores já engajados em projetos promissores  para completar a pesquisa, a análise e a redação. O resultado final deste trabalho deve ser apresentado sob  forma de um manuscrito de livro ou uma série de artigos.

(gehiago…)

SAGE

SAGE | 50 logo Access the latest SAGE Sociology journal articles, news, and more!

 

Top 5 Featured Articles from SAGE Sociology

 

1. Theorizing Ethnic and Racial Movements in the Global Age: Lessons from the Civil Rights Movement
2. Islamic Traditions of Modernity: Gender, Class, and Islam in a Transnational Women’s Education Project
3. Public Opinion, the Courts, and Same-sex Marriage: Four Lessons Learned
4. Discovering Race in a “Post-Racial” World: Teaching Race through Primetime Television
5. Facebook Influence Among Incoming College Freshmen: Sticky Cues and Alcohol

*Free for a limited time. You may already have access to these articles through a library or other subscription.

Ethnography

Articles
Jacqueline Kennelly
Swee-Lin Ho
Samuel Shaw
Madison Van Oort
Luc Pauwels
Kanchana N. Ruwanpura

 

Ethnography

Article
Alesia Fay Montgomery

 

Submit your research to Sociology of Race and Ethnicity

www.sagepub.com
Submit your research to Sociology of Race and Ethnicity
The official journal of the American Sociological Association’s Section for Racial and Ethnic Minorities, Sociology of Race and Ethnicity publishes the highest quality, cutting-edge sociological research on race and ethnicity regardless of epistemological, methodological, or theoretical orientation.

Sociology of Race and Ethnicity, published four times per year, is devoted to publishing the finest critical and engaged public sociological scholarship on race and ethnicity.

We look forward to receiving your submission.

Sincerely,

The SAGE Team